EMERGÊNCIAS MÉDICAS E ODONTOLÓGICAS

24 de agosto de 2017 by Izabel Gavinho

Informações importantes em caso de procedimentos médicos e odontológicos

Nem sempre é possível prever quando ocorrerá uma intercorrência mais séria na vida de um portador de distrofia muscular. E por ser uma doença ainda pouco conhecida por médicos em geral, principalmente nos serviços de emergência, em pronto-socorros e UTIs, o paciente distrófico ainda corre sério risco de não receber o atendimento correto.

Listamos abaixo alguns problemas, com informações importantes direcionadas aos profissionais da área médica.

Medicamentos contraindicados ao portador de DMP

Algumas drogas devem ser evitadas para os portadores de doença neuromuscular. Entre elas devemos citar alguns anestésicos inalatórios, como os derivados do halotano e curarizantes despolarizantes como a succinilcolina, ambos usados em anestesia geral. A administração deste tipo de droga pode levar à necrose do músculo. A morte celular libera grande quantidade de potássio na circula- ção levando à parada cardíaca. Creatinoquinase (CK) e mioglobina também são liberadas para a corrente sangüínea com conseqüente lesão renal. O tratamento é feito com dantrolene. Os anestésicos intravenosos são mais seguros, mas pode haver alterações cardíacas pelo efeito depressor dos barbitúricos e do propofol. Hipnomidate e midazolan são seguros. Anestesias regionais e locais podem ser utilizadas. Outras drogas devem ser controladas, entre elas narcóticos e derivados (morfina) principalmente por via parenteral por seu efeito depressor respiratório; estatinas, usadas para diminuir o colesterol e AZT, droga usada para combater a AIDS por induzirem à rabdomiólise (morte da célula muscular).

 Medidas que devem ser tomadas caso haja necessidade de usar anestesia em portadores de DMP

Procurar hospitais com retaguarda de unidades de terapia intensiva é fundamental. As drogas de risco devem ser lembradas e mostradas à equipe médica e anestesia, nem sempre familiarizada com o problema.

  1. Diagnóstico de hipertermia maligna o mais precoce possível para utilização de tratamento. A droga de escolha é o Dantrolene 2.5mg/kg intravenosamente; esta dose deverá ser repetida até a normalização da PaCO2 , ritmo cardíaco e temperatura corporal.
  2. Outras medidas de apoio como hiperventilação com O2 100%; correção dos distúrbios metabólicos; monitorização de oxigênio e CO2.
  3. O paciente pode ser sedado com midazolan ou propofol.
  4. Arritmias podem ser tratadas com procainamida; cloreto de cálcio 2-5mg/Kg pode ser usado para estabilizar o miocárdio durante a hipercalemia. Bloqueadores do canal de cálcio devem ser evitados uma vez que em combinação com o dantrolene podem precipitar colapso cardiovascular.

O que deve ser feito em caso de Insuficiência Ventilatória

Insuficiência ventilatória é a presença de retenção de gás carbônico (hipercapnia) devido à falência de ventilação normal nas membranas de trocas gasosas. Decorre do acometimento da musculatura respiratória com conseqüente diminuição da ventilação alveolar (hipoventilação). A falta de oxigenação (hipóxia) é um fenômeno concomitante, mas não primário, decorrente do desvio da curva de saturação da hemoglobina. A suplementação de O2 agrava a hipoventilação por suprimir o estímulo do centro respiratório pela hipóxia e também piora os gases sangüíneos por intensificar a desigualdade da relação ventilação-perfusão (vasodilatação pulmonar pelo O2 e ventilação diminuída). O O2 só deve ser usado com o paciente em ventilação. Portanto, numa situação de emergência O paciente deverá ser ventilado e NUNCA SÓ OXIGENADO!!!

Aconselhamos aos pacientes que mantenham sempre ao alcance das mãos uma cópia desse material que pode ser encontrado na nossa  Cartilha sobre Distrofia Muscular – Capítulo VI: EMERGÊNCIAS (link para http://www.acadim.com.br/Cartilha/CapituloEmergencias.pdf)

Citamos abaixo as orientações elaboradas pela Dra. Ana Lúcia Langer médica pediatra, diretora clínica da ABDIM – Associação Brasileira de Distrofia Muscular; colaboradora do Centro de Estudos do Genoma Humano, Fundadora do Grupo de Pais de Crianças com Distrofia Muscular.

Orientações pré-operatórias nas doenças neuromusculares;(link para anestesiadm DRA ANA LUCIA LANGER.pdf)

Orientação para procedimentos odontológicos nas doenças neuromusculares;(link para anestesia_odontologia DRA ANA LUCIA LANGER.pdf)

* Alerta médico  (link para a imagem AlertaMedicoDraAnaLanger.jpg)

Distrofia muscular de Duchenne: um velho problema de anestesia (link para o arquivo anaesthesia_2008 DR JASON HAYES.pdf)
Trabalho em inglês disponibilizado na página do Parent Project Muscular Dystroph, elaborado por  JASON HAYES MD FRCPC, FRANCIS VEYCKEMANS MD, AND BRUNO BISSONNETTE MD FRCPC††The Hospital for Sick Children, Toronto, ON, Canada and *Service d’Anesthesiologie, Clinique universitaires St Luc, Brussels, Belgiu

ACADIM. Todos os direitos reservados.